Bispo Católico alerta: Carnaval não combina com Jesus Cristo

O Carnaval é um jeitinho brasileiro que o diabo encontrou para levar muitas almas para o inferno

São João Maria Vianney: o Santo Cura D’ars, há pouco mais de 150 anos atrás dizia que ”não há um só mandamento que os bailes não transgridam”.

Esse grande santo, modelo dos párocos, dizia ainda que ”os bailes eram a escola de todos os vícios, caminho certo para o inferno.”

O detalhe é que os bailes daquele tempo eram com violinos e as mulheres tinham longos vestidos…

Ele dizia também que ”quando alguém entra em um baile, seu anjo da guarda fica do lado de fora e quem o acompanha é uma espécie de ‘demônio da guarda’, e que aquele ambiente teria então tantos demônios quantos fossem os bailarinos”.

O que o santo diria então dos carnavais de hoje?

Parafraseando o Pe. Marcelo Rossi creio que ele diria: ”Não sei o inferno subiu ou a terra desceu… só sei que está cheio de capeta naquele lugar…”.

Assista o vídeo antes de continuar a leitura:

O CARNAVAL E A COLHEITA MALDITA

Se em algum tempo ou lugar o carnaval já foi uma festa sadia, desde muito deixou de sê-lo.

O fato é que essa festa se tornou a expressão de uma sociedade paganizada que virou as costas para Deus e que, cegada pelas paixões acabou por exaltar e promover os vícios que a tem destruído.

Regada com abundante dinheiro de nossos impostos, essa festa diabólica, querida por muitos do povo, incentivada por políticos fanfarrões e abençoada por boa parte do clero que perdeu a clareza fé e o compromisso de conduzir o rebanho de Deus à salvação eterna, tem feito estragos sempre maiores na vida de muitas pessoas, famílias e na sociedade em geral.

A pretexto de se divertirem ou terem momentos de alegria, se manda às favas os valores e à saúde moral e mesmo física de nosso povo.

Colaboram nessa loucura muitos cristãos que compreendendo mal o conceito de alegria e de liberdade acabam por apoiar ou participar de um evento que leva ao pecado e à destruição de muitos. Estes bons moços que se dizem seguidores de Cristo, sempre alegam que o carnaval não é mal em si mesmo, basta não fazer nada de errado…basta participar como um cristão…que não é pecado se divertir…que Deus nos quer ver com alegria, etc, etc, etc…

Não é por acaso que no profeta Oséas(4,6) Deus diz: ”Meu povo se perde por falta de conhecimento.” A ignorância e o desprezo pela Palavra de Deus estão na raiz desse tipo de argumento por parte dos que se dizem cristãos. Mas a Palavra de Deus, em vários pontos é pródiga em condenar esse tipo de evento (Rom.1,29; 1Cor.6,9ss; Gal.5,19ss; 2Tim.3,1ss; etc…) e deixa claro que não entrará nos céus os que deles participam ou os promovem.

O carnaval promove toda espécie de vícios e pecados e é completamente incompatível com os ensinamentos de Cristo, que veio justamente para nos libertar do pecado e de sua consequência última que é o inferno.

O carnaval é o caminho mais curto para a condenação. É o jeitinho brasileiro que o diabo encontrou para levar muitas almas para o inferno. Nessa época, por meio desse evento o demônio faz uma grande colheita sob o olhar cúmplice dos pastores que não vigiam sobre seus rebanhos.

Mas porque mesmo o carnaval é tão mal? vejamos entre outras coisas:

1- Exalta e promove a nudez, pornografia, sexo livre, prostituição e adultério;
2- Promove e incentiva o consumo de álcool e drogas em geral, razão pela qual muitos se encorajam a fazerem muitas loucuras, que em circunstâncias normais não fariam;
3- Nos meses que se seguem após o carnaval o índice de aborto aumenta muito por conta dos que se prostituíram naquele evento;
4- Grande aumento de acidentes com considerável número de vítimas, por causa das bebidas e drogas;
5- Aumento da violência, brigas, assassinatos e estupros;
6- famílias que se desfazem ou entram em crise por causa dos adultérios e prostituição;
7- A disseminação de doenças sexualmente transmissíveis, especialmente da AIDS(pois ao contrário da propaganda, os preservativos falham);
8- A disseminação de uma moral relativista que quebra ou enfraquece a resistência ao pecado e ao que é condenado pela Palavra de Deus.

Ainda que haja padres ou bispos que ”abençoem” sambódromos e por seu incentivo ou omissão, apoiem essa festa imunda, Deus jamais aprovará.

Leia também: A virtude da Pureza – um sermão de São João Maria Vianney

É imoral que cristãos participem ou apoiem esse evento. É imoral que os governos patrocinem essa escola de vício e pecado.

O conceito filosófico de alegria é: deleite de um bem honesto. Portanto, ainda que a pessoa não entre em nenhum vício, a sua simples participação nessa festa é uma forma de apoio um evento que arrasta milhões de pessoas a práticas pecaminosas e aos vícios condenados por Deus. Sendo assim, não se trata de uma diversão sadia ou de uma verdadeira alegria pois é uma satisfação obtida às custas da perda de muitos.

Quem participa do carnaval ou o apoia de alguma forma é cúmplice moral de tudo o que ali acontece e é promovido.

Templário de Maria