fbpx

Bispos alemães enfrentam o Papa Francisco e seguem em frente com sínodo na Alemanha

Formações, análises e notícias católicas

Bispos alemães enfrentam o Papa Francisco e seguem em frente com sínodo na Alemanha

Pretendem debater questões como moral sexual da Igreja, o celibato e o sacerdócio feminino.

(Periodista Digital) Depois de uma reunião fechada neste fim de semana, um grupo de cerca de 20 bispos alemães, juntamente com muitos outros representantes leigos, assinou uma carta endereçada ao Papa Francisco , que responde à enviada em 29 de junho pelo pontífice argentino, na qual insistem em continuar com os objetivos já traçados

Nele serão debatidos o celibato sacerdotal, a consagração das mulheres sacerdotes e a revisão da moral sexual da Igreja. Onde o papa pediu que não perdessem de vista a unidade da Igreja, eles respondem que não perderiam de vista “nem a unidade da Igreja nem a realidade no terreno”.

“A Igreja não existe apenas para si mesma”, foram as palavras do presidente da Conferência Episcopal Alemã, cardeal Reinhard Marx , determinadas a seguir o caminho sinodal como um “processo espiritual”.

Em uma carta datada de 4 de setembro, o cardeal Marc Ouellet, chefe da Congregação dos Bispos do Vaticano, havia alertado os bispos alemães de que eles não têm poder de decisão sobre assuntos que seriam abordados apenas no nível da Igreja universal, observando que os processos de votação que eles estão pensando em adotar no processo sinodal não estão em sintonia com o direito canônico.

Esses processos de votação, no entanto, serão mantidos de acordo com o que foi decidido na reunião deste fim de semana, que ainda deve ser ratificada pela plenária de outono da Conferência Episcopal Alemã. “Trata-se de recuperar a confiança para falar com credibilidade sobre nossa fé”, justificou o presidente do Comitê Católico Central da Alemanha (ZdK), Thomas Sternberg , uma associação leiga que participa ativamente do processo.

Leia também: Vaticano: Sínodo alemão não é válido pois se propõe a alterar normas e doutrinas universais da Igreja

Também neste final de semana, os relatórios dos quatro fóruns preparatórios foram aprovados preliminarmente: poder, vida sacerdotal, moral sexual e papel das mulheres. Com exceção das mulheres, o restante já foi objeto de um dia de estudo e reflexão pelos prelados alemães em março e ficou claro que a maioria dos bispos na Alemanha considera insustentável o status quo nesses campos. No final de agosto, o estatuto que orientará o processo sinodal foi votado em votação secreta, cujo resultado foi 21 votos a favor, três contra e três abstenções.

Embora alguns bispos alemães não sejam a favor de uma reforma do esboço que os relatórios de progresso debatem, a verdade é que a abertura do caminho sinodal foi votada por unanimidade pela Conferência Episcopal, ao final de um processo de reflexão que Começou após o início do escândalo de abuso sexual de menores dentro da Igreja, que resultou em uma auditoria interna que propôs essas mudanças.

Assuntos relacionados:

.: Cardeal Marx considera possível ordenar homens casados ​​em algumas regiões e sob certas condições

.: Cardeal alemão alerta: dar comunhão a protestantes é grande falta de respeito

.: Bispo alemão adverte que a Igreja Católica na Alemanha pode acabar sendo protestante

Atenção!

Frente à gravidade das propostas, e todo contexto entorno do Sínodo da Amazônia, preparamos uma série de vídeos que visam trazer à luz detalhes desconhecidos do Sínodo, e que podem ter efeito negativo na vida de todos os católicos.

- Continua após a publicidade -

 

Clique Aqui para assistir