fbpx

Enfermeira que se passava por médica foi presa por fazer abortos clandestinos em BH

Formações, análises e notícias católicas

Enfermeira que se passava por médica foi presa por fazer abortos clandestinos em BH

Luciane Ferreira já trabalhou como enfermeira e foi presa em flagrante. Vários medicamentos que seriam usados nos procedimentos foram apreendidos.

Uma mulher foi presa nesta sexta-feira (6) no momento em que ia fazer aborto em outras duas mulheres, em um hotel no bairro União, na Região Nordeste de Belo Horizonte. Luciane Ferreira, de 36 anos, que já trabalhou como enfermeira, foi presa em flagrante.

A polícia cumpriu mandados de busca e apreensão no hotel e na casa da suspeita, em Ribeirão das Neves. Foram apreendidos medicamentos que, segundo a polícia, eram usados nos abortos, além de seringas e tesouras. No hotel, em dois apartamentos, estavam as duas gestantes. Com elas, foram apreendidos cerca de R$ 20 mil.

De acordo com a polícia, a suspeita oferecia o procedimento ilegal em rede social e em aplicativo de celular.

As duas mulheres não chegaram a passar pelo procedimento. Elas foram levadas para o hospital, liberadas e ouvidas pela polícia.

A enfermeira Luciane Ferreira pode responder por crime de aborto com consentimento da gestante, com pena entre 1 a 4 anos e depósito de medicação proibida, que dá 10 a 15 anos de prisão.

De acordo com a polícia, a suspeita não comentou o caso e disse que só vai falar em juízo. O delegado que investiga o caso, Emerson Morais, disse que pelo menos 25 mulheres podem ter se submetido a aborto e podem ser chamadas a prestar informações.

Via G1 | Rede TV