fbpx

Índia: 500 extremistas hindus invadem colégio católico e devastam o local

Formações, análises e notícias católicas

Índia: 500 extremistas hindus invadem colégio católico e devastam o local

Cerca de 500 extremistas hindus destruíram um colégio jesuíta no estado de Jharkhand, no leste da Índia. Nem a polícia nem o governo do estado tomaram medidas.

O Padre Thomas Kuzhively, sj, secretário da colégio, explicou à Agência Fides que o ataque ocorreu em 3 de setembro:

«A escola, St. John Berchmans, ainda está fechada uma semana após o ataque. Está localizado em Mundli Tinpahar, 38 km ao sul de Sahibganj, uma das principais cidades de Jharkhand. Nem a polícia nem o governo do estado ainda não tomaram nenhuma ação .

O padre explica que a multidão chegou ao campus com armas como paus, correntes, barras de ferro, facas e armas e atacou os estudantes da residência Loyola Adivasi. Dois ficaram gravemente feridos. Eles foram salvos pela intervenção das irmãs que trabalham no Colégio, pois, embora uma ambulância tenha sido chamada, a multidão não permitiu que os feridos fossem levados ao hospital. “Mais tarde, a polícia os levou ao hospital Rajmahal”, diz o padre.

A multidão também tentou assediar sexualmente estudantes e funcionários de universidades , lamenta o padre Kuzhively. O pai jesuíta Nobor Bilung tentou conversar com os agressores, mas eles o atingiram na cabeça. “O diretor e toda a equipe da administração estavam desamparados. Nenhum de seus esforços conseguiu acalmar a multidão ” , diz o jesuíta.

Os agressores quebraram as janelas de todas as janelas, canos danificados, móveis, sistemas elétricos e o sistema de áudio. Depois de destruir o colégio interno, a multidão foi para o prédio da residência. Os atacantes também levaram o dinheiro nas gavetas do escritório e em três telefones celulares . Três religiosos tentaram impedir a entrada do grupo, uma vez que havia cerca de 200 estudantes dentro.

Os policiais também tentaram deter a multidão, mas ela se voltou contra eles e feriu alguns policiais. Após quatro horas de caos, a multidão se dispersou.

O Colégio apresentou uma queixa na qual estima que o dano às instalações é de um milhão e meio de rúpias. “Pedimos uma ação concreta”, diz o padre. Ele explica que a administração do centro apelou aos juízes, ao governador e ao primeiro ministro do estado de Jharkhand , ao presidente da comissão nacional de direitos humanos e ao presidente da comissão nacional de minorias, na qual eles solicitam uma ação. Imediato contra os agressores. As escolas da região vão parar para protestar contra o ataque.

Via Infocatólica

Atenção!

Frente à gravidade das propostas, e todo contexto entorno do Sínodo da Amazônia, preparamos uma série de vídeos que visam trazer à luz detalhes desconhecidos do Sínodo, e que podem ter efeito negativo na vida de todos os católicos.

Clique Aqui para assistir