Quando o politicamente correto dos pastores induz os fiéis à falta de piedade

Quando um padre não tem coragem de vencer o “politicamente correto”, ele deixa seus fiéis alheios a todo tipo de orientações que divergem da doutrina da Santa Igreja.

É lamentável a postura de alguns bons sacerdotes que são tidos como conservadores, são seguidos e admirados por muitos, mas são politicamente corretos, ou seja, são conservadores enquanto não lhes custar maiores sacrifícios ou perseguições.

A chegada do corona vírus acabou por revelar o pensamento de muitos corações.

Muitos bispos, abusando de sua autoridade, passando por cima das orientações de Roma e do direito dos fiéis, emitiram decretos proibindo a comunhão na boca. Isso a pretexto de evitar o contágio do novo vírus.

Diante disso, alguns padres, pretendendo ser prudentes e guiar os fiéis na obediência e humildade, se esforçaram para convencer os fiéis a obedecer os abusivos decretos que proibiam a comunhão na boca.

É desonesto querer induzir os fiéis a comungar com as mãos usando como pretexto o argumento da humildade e obediência às autoridades. Esses padres não têm a coragem de dizer que a comunhão na boca é um DIREITO dos fiéis, e que nenhum padre ou bispo tem autoridade para impedir o exercício desse direito.

 

Ajude a manter nosso apostolado. Clique aqui para visitar nossa Loja Virtual

 

Se quisessem ser realmente sintonizados com a orientação da Igreja, seguiriam a determinação de Roma que assegura o direito dos fiéis receberem a Sagrada Comunhão na boca, mesmo em tempos de surtos ou epidemias.

Se tivessem um pouco mais de visão espiritual compreenderiam a desgraça que significa a banalização da comunhão na mão e como isso é querido pelo inferno como alertou o Cardeal Robert Sarah…

Leia também: “Comunhão na Mão é um ataque de Satanás à Eucaristia” – Cardeal Sarah

Se tivessem um pouco mais de coragem ou uma melhor percepção das coisas espirituais, compreenderiam que induzir os fiéis a quebrarem sua piedade, recebendo Jesus nas mãos, obedecendo os caprichos de padres ou bispos impiedosos, é uma forma de prepará-los para obedecerem muitas ordens iníquas que muitas autoridades têm dado, e seguirão dando, e esses fiéis induzidos por esses padres isentões e politicamente corretos, que passaram a pensar que se deve obedecer as autoridades em tudo, inclusive naquilo que divergem da doutrina da Igreja, seguirão com estas para longe da verdade.

Definitivamente, é preciso muito mais humildade para sofrer a incompreensões, execrações e injustiças, do que para se submeter a ordens impiedosas de algumas autoridades, buscando salvar a própria pele e evitar perseguições e desgastes. Na maioria dos casos o nome disso é simplesmente covardia.

Para quem se recusa a aderir ao maligno projeto da maçonaria eclesiástica que visa fazer perder o respeito e a reverência a Jesus Sacramentado, recomendamos juntamente com o zeloso bispo Dom Athanasius Schneider, que, caso sejam impedidos de comungar na boca, não recebam Jesus nas mãos, mas façam comunhão espiritual.

Leia também: Proibir a comunhão na boca, mesmo em tempos de pandemia, constitui um abuso de autoridade, afirma bispo

E para que ninguém se sinta constrangido por não acatar a essa ordem injusta de se comungar na mão, é sempre útil lembrar o que diz Santo Tomás de Aquino: “Ninguém está obrigado a obedecer a uma ordem iníqua”.

Que a Santíssima Virgem alcance para todo povo e especialmente aos seus sacerdotes a graça de serem santos, verdadeiramente humildes, de modo que sejam capazes de sofrer para se manterem sempre na vontade de Deus e na busca de se fazer aquilo que agrada a Deus, e não aquilo que seja mais cômodo ou nos preserve.

Templário de Maria

Leia também – Vaticano: É proibido impedir comunhão na boca, mesmo que seja para se evitar epidemias