Padre Augusto Bezerra faz uma análise sobre as contantes investidas da empresa Netflix contra os cristãos e a onda de cancelamentos em honra a Nosso Senhor Jesus Cristo. Leia abaixo:

CANCELEM AS ASSINATURAS (É JUSTO), mas não é cancelando que isso mudará a política do #Netflix. Explico porquê, meus caros.

Vocês sabem quanto essa empresa valor no #mercado e quanto tem em #patrimônio? 557 𝗕𝗶𝗹𝗵𝗼̃𝗲𝘀 𝗱𝗲 𝗿𝗲𝗮𝗶𝘀! Crianças, sabem o que é isso? Significa que num dia eles produzem lucros na casa de muitos milhões em bolsa de valores e com base simplesmente em investidores.

Essas grandes multinacionais vivem de investidores e grandes players (jogadores) do mercado, o que significa que as assinaturas hoje não representam tudo para uma empresa como essa a curto prazo.

Depois, a solução seria ser um bilionário ou amigo de um que pudesse influenciar nas ações do mercado. E isso não somos e talvez não tenhamos amigos assim.

E o que está ao alcance para ferir o calcanhar deles? Processos, milhares de processos, processos até sair pelo ladrão. Imaginem se 10 mil católicos do território nacional processassem o Porta dos Fundos e o Netflix? Sabem o trabalho que eles teriam? O dinheiro e tempo que gastariam? Pois é, aí sim.

Mas esse é o caminho mais difícil, só que muitos não querem ter o esforço de fazer.

Sim, recomendo! Cancelem. Mas, e aí? Essa é a minha pergunta. Pois, talvez foi bom para você, mas não foi nada para eles, pois o dinheiro deles não vai acabar por conta disso. Se perdem 5000 mil assinaturas hoje, eles mesmo assim ganham mais de 1 milhão na bolsa por dia.

Então, “sejamos espertos nas coisas da luz como os filhos do mundo são espertos nos seus negócios”.