fbpx

TESTEMUNHO DE UMA JOVEM SOBRE O SEXO

Formações, análises e notícias católicas

TESTEMUNHO DE UMA JOVEM SOBRE O SEXO

TESTEMUNHO DE CURA DE UMA JOVEM SOBRE O SEXO

Resolvi falar desse assunto, pois me vi diante da misericórdia de Deus sobre minha miséria enquanto pecadora que sou e, nessa infinita misericórdia, obtive a cura que me faltava.

Sou uma moça que mantive, por aproximadamente três anos, vida sexual ativa, pecando mortalmente contra o sexto mandamento.

Pecava contra a castidade com o meu namorado e, em função disso, minha alma foi ferida, além do sentido do sexo ser totalmente deturpado devido à forma em que mantinha meus relacionamentos.

Após iniciar minha caminhada de conversão, descobri que Deus queria que, ainda assim, eu prosseguisse no caminho da vocação matrimonial.

Eu sabia que o matrimônio, segundo os ensinamentos da Igreja Católica, é um meio eficaz de santificação. Desde que abandonei o pecado, minha alma se via sedenta de santidade, mas pensava: “Como poderei ser santa voltando a ter relações sexuais?”. Mesmo já conhecendo os ensinamentos da Igreja que ensinam que o sexo foi criado por Deus, que o sexo é belo e santo, Lá no fundo, em função de minha sexualidade desregrada, eu desenvolvi o pensamento de que aquele ato era pérfido e imundo.

Mas como disse no início, um dia em oração, Deus veio em sua infinita misericórdia, e pude entender o que realmente é a relação sexual. O objetivo do meu testemunho é poder explicar pra todos o que é o sexo, e que mesmo no casamento há o sexo desordenado que não agrada a Deus.

Segundo a Igreja, o sexo é imoral se for anal, oral e entre homossexuais, ou seja, qualquer forma que não seja natural e com a possibilidade de reprodução. Até aí muita gente sabe, mas o que quero dizer vai além.

Vocês casados já pararam pra analisar o que é o sexo? Em cada relação sexual há a consumação e reafirmação dos votos matrimoniais. A consumação é a consecução (conquista) de algo em sua plenitude. Vocês enquanto casados, prometeram no altar, se entregar livre, total, fiel e fecundamente um ao outro e em cada relação sexual reafirmam e consumam esses votos.

Devido às experiências sexuais com ex-namorados, eu achava essa questão muito complicada, pois geralmente os homens, em grande parte dos casos, forçam “a barra” quando a mulher não quer ter relação sexual, e como já havia ouvido que os esposos não devem se negar, eu pensava que essa parte seria uma tortura no matrimônio. Mas a questão é que a relação sexual só deve ocorrer entre os esposos por amor ao outro, consumando o que foi dito no altar. Assim você marido, e você esposa, também no ato sexual, devem se entregar livremente (livre de seu egoísmo), fecundamente (aberto à vida, sem métodos contraceptivos), totalmente e fielmente. Um homem que, se quer reconhece que naquele momento sua esposa não está disponível para a relação sexual, forçando a situação, está também agindo contra a vontade de Deus e de forma desordenada, pois está deixando o seu egoísmo dominar sua vontade.

Certa vez ao ouvir um casal católico, no YouTube, falar que “a mulher faz sexo para receber carinho e o homem faz carinho pra receber sexo”, fiquei extremamente indignada, e por graça de Deus logo vi que ali também havia uma desordem. Mesmo eles sendo um casal que busca a santidade, que obedece fielmente a Igreja, que são abertos à vida, naquela afirmação eles expuseram sua vontade egoísta na realização do ato sexual.

Também no sexo devem-se reafirmar os votos matrimoniais, o casal deve fazer sexo por amor ao cônjuge, e não querendo algo em troca. O amor não é interesseiro, o amor exige renúncias, o amor não é egoísta. Nesse caso, o casal faria sexo pelo amor natural que Deus lhes deu.

- Continua após a publicidade -

 

Mas o Espírito Santo me levou além, e me deu a graça de compreender que além do amor natural, existe o amor sobrenatural. Já nesse caso, para as almas que estão mais à frente no caminho da santidade, estas fariam sexo com o cônjuge por amor a Deus! Sim! Por amor a Deus, porque ao se direcionarem para o cônjuge com intenção de ter uma relação sexual, naquele momento teriam em seu coração a intenção de consumação e reafirmação dos votos matrimoniais, cumprindo assim a vontade de Nosso Senhor Jesus Cristo. E se o casal tiver o mesmo olhar santificado pela Graça de Deus, a mesma visão de céu e de obediência e amor a Deus, aí sim eles não se negariam, pois um só procuraria o outro para um ato sexual, observando todas as condições do dia-a-dia, havendo uma união de sua vontade com a vontade de Deus, e não a realização de sua própria vontade egoísta!

Peçamos a Deus esse amor sobrenatural, de fazer todas as coisas por amor a Deus. E mesmo que seu amor ainda seja o natural, não deixe que sua vontade egoísta fira a dignidade de sua esposa ou de seu marido, o sexo não é um playground. O sexo, como criado por Deus, tem caráter procriativo e unitivo, mas para ser motivo de união do casal, deve ser também unido à vontade de Deus. Mesmo você sendo casado, você não deve fazer sexo para satisfazer suas vontades egoístas, usando de sua mulher/marido como se fosse um objeto sexual, pois isso é desordenado. Seu cônjuge tem alma, não é só corpo, e vocês no sexo devem confirmar a união de corpo e alma que fizeram nos votos matrimoniais.

Ass: Uma Jovem, que por misericórdia de Deus procura viver na graça.