DO GRAVE DEVER DOS PAIS DE EDUCAREM SEUS FILHOS

Formações, análises e notícias católicas

DO GRAVE DEVER DOS PAIS DE EDUCAREM SEUS FILHOS

Uma das grandes tragédias de nosso tempo- geradora de outras tantas- foi a perda da consciência do grave dever e da responsabilidade dos pais no que toca a educação e formação de seus filhos.

Perdendo a própria consciência de sua vocação e de seu chamado à santidade, a maior parte dos pais acabaram por adquirir um mentalidade e um estilo de vida utilitarista e materialista que tem olhos apenas para as realidades terrenas imediatas, ignorando os efeitos desastrosos da ausência de uma educação humana e cristã sólidas a médio e longo prazo, sem contar o que para nós ainda é o mais fundamental: a eternidade.

Mesmo a maior parte dos pais que frequentam Igreja e participam dos diversos movimentos e associação têm uma visão e atuação profundamente equivocadas no que toca a compreensão e atuação como pais e formadores de seus filhos. Levantemos alguns problemas:

1- Por causa da apostasia de boa parte do clero, os cristão católicos de nossos dias deixaram de receber uma pregação clara que os faça desejar os bens eternos e ter a firme convicção de que devemos buscar viver na graça e na comunhão com Deus em função da eternidade. Só quem tem está convencido da absoluta superioridade dos bens eternos é que educará seus filhos para amar a Deus de verdade e respeitar a sua Lei;

Antes de continuar a leitura, assista ao Vídeo do Padre Rodrigo Maria:

2- A quase totalidade das escolas e universidades católicas que deveriam ser um grande auxílio aos pais na formação cristã de seus filhos, deixaram de cumprir seu papel e apostataram. Sendo que estas últimas se tornaram das maiores fábricas de ateus e revolucionários anti-cristãos da atualidade;

3- Por causa do enfraquecimento da fé e do desconhecimento da doutrina cristã sobre Deus, o mundo e o homem, os católicos se tornaram presas fáceis de todo tipo de mentalidade revolucionária e anti-cristã, absorvendo e aplicando em suas respectivas famílias ideias incompatíveis com sua fé e com a finalidade mesma da família. Por essa razão é muito comum mulheres estarem trabalhando fora de casa a pretexto de dar uma vida materialmente melhor aos filhos, descuidando assim de sua primeira e mais grave função, ou seja: de ser uma mãe presente para acompanhar e educar seus filhos em todas as etapas de seu desenvolvimento. É muito comum a rejeição de um número maior de filhos pensando no conforto do casal e de um ou dois filhos que tiveram. É corriqueiro que, mesmo pais que têm uma atuação na Igreja, permitam entrar em suas casas ideologias, programas, músicas e modas que depõe contra tudo aquilo que ensina a Palavra de Deus, pois por sua ignorância da doutrina se tornaram incapazes de perceber mesmo as mais gritantes contradições de tais coisas com sua fé;

Leia também: Garota agride a própria a mãe por não poder ir em baile funk

4- Porque perderam a consciência da eternidade, a maior parte dos pais cristãos não gastam tempo com a oração e com a formação doutrinária de seus filhos, mas delegam essa função à nossa falida e ineficiente ”catequese paroquial”, onde as crianças e jovens estarão uma hora por semana aprendendo quase nada que forme convicções profundas a cerca de sua fé. Isso quando não têm a infelicidade de terem um catequista ou pároco ”petista” ou de outros ”clubes revolucionários”ensinando as mais variadas heresias e relativizando a fé a moral cristãs. O resultado dessa grave omissão é que essas crianças e jovens irão ser facilmente confundidos e desmontados a medida em que se confrontarem com professores ateus ou revolucionários que os farão se sentir como pessoas ignorantes e atrasadas pelo fato de crerem em Deus e em sua Palavra, e assim perderão a fé ou o estímulo para praticarem sua religião;

5- Por falta de uma formação sólida e pela exposição continuada a imagens e ideias relativizantes dos valores cristãos, muitos dos nossos filhos acabam se tornado escravos de vícios como a pornografia, o sexo desenfreado, os jogos, a preguiça, o egoísmo e o individualismo, o consumismo, a dependência química e eletrônica, etc…tudo em uma tentativa patética de preencherem o coração com ”coisas” que não podem ser resposta para os mais profundos anseios da alma humana…e tudo isso, em grande parte, porque os pais falharam em formar seus filhos, porque não gastaram tempo para incutir em seus corações os valores que lhes dariam critérios mais firmes para discernir e rejeitarem o mal e fazerem o bem;

Diante dessa tragédia moderna o que podemos fazer? como consertar ou ao menor amenizar os efeitos devastadores de uma má educação ou de uma ”não educação”? Seguem alguns conselhos e orientações práticas que poderão ajudar a orientar os pais em função de seu próprio bem e do bem de seus filhos, netos e crianças e jovens mais próximos:

1- Converta sua mente e seu coração. Sem mudar a maneira de ver e pensar o mundo, será impossível formar os outros. Só quem se convence de que somos chamados a sermos santos, ou seja, a termos uma vida de comunhão com Deus neste mundo, pela perseverança na graça e observância de seus mandamentos, será capaz de transmitir essa convicção aos filhos, pois sua vida, suas escolhas serão pautadas pela Palavra de Deus;

- Continua após a publicidade -

 

2- Veja seu seu matrimônio e sua paternidade/maternidade como uma vocação, ou seja, como um chamado, uma missão dada por Deus. Quanto mais forte essa consciência, tanto mais clara ficará a necessidade de se educar os filhos na fé em função da eternidade. Pois quem é consciente que recebeu de Deus essa missão irá se esforçar de cumpri-la como Deus mandou. Quem perdeu a clareza dessa verdade educa os filhos apenas ou prioritariamente para esse mundo, relativizando a necessidade da evangelização dos filhos e a transmissão dos valores espirituais;

3- Liberte-se das ideologias e mentalidades revolucionárias contrárias a sua fé. Leia a Bíblia, estude o catecismo e leia bons livros que te ajudem a entender melhor a sua fé e como no contexto da mesma se devem ser compreendidos os fatos e fenômenos atuais e se encaixarem as ideias. É preciso gastar tempo com a própria formação para se capacitar afim de melhor orientar os próprios filhos;

4- No que depender de você, corte de sua casa os programas, livros, modas e comportamentos contrários a sua fé e nocivos à sadia formação de seus filhos. Mas não basta apenas tirar, na verdade o melhor é substituir tudo isso por bons programas, livros, diversões sadias e uma presença e diálogo contínuos. Seus filhos são o que você tem de mais valioso neste mundo… é preciso gastar seu tempo com eles. Isso faz parte da missão que Deus te deu.

5- Acompanhe a formação que seus filhos têm recebido nas escolas públicas ou particulares. Atualmente a escola tem sido um dos principais veículos de perversão e desinformação de nossos filhos, onde têm adquirido anti-valores que os têm precipitado em vícios e ideologias degradantes. A maior parte de nossos professores têm sido formados dentro de uma mentalidade revolucionária reinante em quase todas as faculdades e universidades de nosso país. Além do mais o atual governo do PT, seguindo a mentalidade socialista que possui, tudo tem feito para substituir os pais no processo de formação das crianças e jovens, atuando na desconstrução dos valores cristãos com a promoção do sexo livre, do homossexualismo, da ideologia de gênero, do marxismo, do relativismo moral e religioso e de muito outros tipos de ideologias e comportamentos pervertedores. É preciso que os pais vigiem o que estão ensinando seus filhos. E se for o caso, retire seus filho daquela escola e transfira a outra ou mesmo os eduque em casa, pois a saúde espiritual e moral de seus filhos e sobretudo a salvação eterna dos mesmos são mais importantes do que o que ali era oferecido.

6- Mães, voltem para casa!… É preciso ter coragem e amor suficientes para colocar o bem dos filhos acima de quaisquer interesses pessoais. A mulher que se casou precisa ter a consciência de que sua família está acima de sua carreira acadêmica e/ou profissional. Cabe ao homem o sustento do lar e à mulher o cuidado da casa e a presença maior junto aos filhos. E não há babá, creche, titia, vovó ou quem quer que seja, que substitua uma mãe na educação e no cuidado de seus filhos. Essa é a ordem natural estabelecida por Deus, se nós a quisermos substituir por outra- que em nossa cabeça soberba consideramos ser melhor do que a de Deus- iremos encontrar somente a destruição, como aliás se pode constatar nas famílias atuais. Há casos, sempre mais numerosos, em que por motivo de separação ou por serem mães solteiras, muitas mulheres têm necessitado trabalhar para sustentar a si e seus filhos. Isso é compreensivo, pois na maior parte dos casos se trata de questão de sobrevivência, mas está muito longe de ser o ideal e não deixa de acarretar ocasião de perigo para os filhos e uma lacuna que poderá custar muito cara no futuro. Em alguns casos, se houver grave necessidade, mesmo casada, a mulher poderá ocupar meio período de seu tempo no trabalho, enquanto os filhos estão na escola; mas novamente não é o ideal e é uma situação a ser evitada. Felizes os filhos que tem uma mãe presente em suas vidas durante toda as etapas de seu crescimento;

Leia também: Educação dos filhos: onde foi que eu errei?

7- Pais brinquem com seus filhos. Gaste tempo com eles: acompanhe-os, incentive-os nas coisas boas, corrija-os no que não estiver bem(eles têm o direito de serem corrigidos), faço-os perceber que vocês se importam com eles e com o que eles fazem e pensam.

8- Tenham vida de oração pessoal e rezem em família. Se não possível com todos, aos menos com os que forem possível, todos os dias ao menos algum momento. Rezem ao Espírito Santo continuamente, suplicando os dons da Sabedoria e do Discernimento para bem educar seus filhos. Vivam na graça, se confessem e comunguem com fé e devoção e procurem ir juntos à santa missa. Família que reza unida permanece unida. Nossa senhora disse em Fátima: ”rezem o terço todos os dias para alcançarem a paz”… se as famílias escutassem a voz da Mãe do Céu e obedecessem o que ela mandou, as encontrariam a conversão e a paz. Como nossa famílias seriam diferentes se aos invés de se reunirem para assistirem as novelas imundas, se reunissem para rezar o terço e ler a Bíblia e estudar um pouco de doutrina, ou discutir os problemas atuais a luz dos valores cristãos. Todos os pais que amam seus filhos querem seu bem e sua felicidade. O problema atual é que se deturparam os conceitos de bem, alegria, felicidade, etc…pensam e agem com boa vontade , mas de modo muito equivocado, pois não têm mais uma ideia cristã desses conceitos. É preciso que os pais cristãos tenham a coragem de enfrentar esse problema e o tanto quanto possível se associem para rezar, estudar e realizarem ações concretas para vencer esse mal que atinge a vida de todas as nossas. Dos espetáculos mais belos que ocorre na face da Terra é ver na Igreja, juntos: o pai a mãe e seus filhos… mais ainda quando juntos se aproximam para comungar. Uma família que tem uma consciência Eucarística viva e que se esforçando para viver sua vocação fazem de Jesus o centro de sua vida, é realmente algo sumamente edificante e comovedor. ”De nada vale o homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma” disse Nosso Senhor. Que os pais amem a Deus de verdade para que pelo exemplo e pela boa formação ensine seus filhos o caminho do céu.

Templário de Maria